• Apostolado FERR

Missa da Epifania do Senhor



6 de janeiro

EPIFANIA DO SENHOR

I classe, paramentos brancos

Estação em São Pedro


Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja.


Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Padre Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. – “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.


A basílica de São Pedro foi escolhida para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania, desde os tempos mais remotos, é uma das maiores solenidades.


Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Postcommunio). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Do dia 7 a 12 de janeiro, antes do Domingo da Sagrada Família, nas Missas feriais diz-se esta Missa da Epifania, com Glória (comemoração de Santo Higino no dia 11), sem Credo, com Prefácio da Epifania, sem o Communicantes próprio.


INTRÓITO

(Ml 3,1; I Cr 29,12; Sl 71,1)

ECCE advénit dominátor Dóminus: et regnum in manu ejus, et potéstas, et impérium. PS. Deus, judícium tuum Regi da: et justítiam tuam Fílio regis. Glória Patri. Ecce advénit.


EIS que vem o Soberano Senhor; em sua mão está o Reino, o Poder e o Império. SL. Ó Deus, dai o vosso julgamento ao Rei; e a vossa justiça ao Filho do Rei. Glória ao Pai. Eis que vem.


COLETA

Deus, qui hodiérna die Unigénitum tuum géntibus stella duce revelásti: concéde propítious; ut, qui jam te ex fide cognóvimus, usque ad contemplándam spéciem tuæ celsitúdinis perducámur. Per eúmdem Dominum.


Ó DEUS, que no dia de hoje manifestastes o vosso Unigênito aos gentios, guiados por uma estrela, concedei propício, que conhecendo-Vos pela fé, cheguemos também a contemplar o Esplendor de vossa Majestade. Pelo mesmo nosso Senhor.


EPÍSTOLA

(Is 60,1-6)

Léctio Isaíæ Prophétæ.

SURGE, illumináre, Jerúsalem: quia venit lumen tuum, et glória Dómini super te orta est. Quia ecce tenébræ opérient terram, et calígo pópulos: super te autem oriétur Dóminius, et glória ejus in te vidébitur. Et ambulábunt gentes in lúmine tuo, et reges in splendóre ortus tui. Leva in circúitui óculos tuos, et vide: omnes isti congregáti sunt, venérunt tibi: fílii tui de longe vénient, et fíliæ tuæ de látere surgent. Tunc vidébis, et áfflues, mirábitur et dilatábitur cor tuum, quando convérsa fúerit ad te multitúdo maris, fortitúdo géntium venerit tibi. Inundátio camelórum opériet te, dromedárii Mádian et Epha: omnes de Saba vénient, aurum et thus deferéntes, et laudem Dómino annuntiántes.


Leitura do livro do profeta Isaías.

LEVANTA-TE e resplandece, Jerusalém! Porque chegou a tua luz, e a glória do Senhor se levantou sobre ti. Eis que as trevas cobrem a terra, a escuridão cobre os povos; mas sobre ti o Senhor se levanta, e aparece sobre ti a sua glória. As nações caminharão para a tua luz, e os reis, para o clarão da tua aurora. Ergue os olhos, e olha em torno de ti: todos se reúnem, vem ao teu encontro; teus filhos chegam de longe, e tuas filhas surgem de todos os lados. Então, tu verás e ficarás radiante; teu coração saltará e será dilatado. Pois a ti afluirão os tesouros do mar, as riquezas das nações acorrerão a ti. Multidões de camelos te invadirão, dromedários de Madian e de Efa. Todos de Sabá virão, trazendo o ouro e o incenso e proclamando os louvores do Senhor.


GRADUAL

(Is 60,6,1)

OMNES de Saba vénient, aurum et thus deferéntes, et laudem Dómino annuntiántes. V. Surge, et illumináre, Jerúsalem: quia glória Dómini super te orta est.


TODOS virão de Sabá, trazendo o ouro e o incenso, e louvores ao Senhor. V. De pé, Jerusalém, e resplandece toda: ergueu-se sobre ti a glória do Senhor.


ALELUIA

(Mt 2,2)

ALLELÚJA, allelúja. Vídimus stellam ejus in Oriénte, et vénimus cum munéribus adoráre Dóminium. Allelúja.


ALELUIA, aleluia. V. Vimos a sua estrela no Oriente, e viemos, com presentes, adorá-lo. Aleluia.


EVANGELHO

(Mt 2,1-12)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthæum.

CUM natus esset Jesus in Béthlehem Juda in diébus Heródis regis, ecce Magi ab Oriénte venérunt Jerosólyman, dicéntes: «Ubi est qui natus est rex Judæórum? Vídmus enim stellam ejus in Oriénte, et vénimus adoráre eum.» Audiens autem Heródes rex, turbátus est, et omnis Jerosólyma cum illo. Et cóngregans omnes príncipes sacerdótum, et scribas pópuli, sciscitabátur ab eis, ubi Christus nascerétur. At illi dixerunt ei: «In Béthlehem Judæ: sic enim scriptum est per Prophétam: “Et tu Béthlehem terra Juda, nequáquam mínima es in princíbus Juda: ex te enim éxiet dux, qui regat pópulum meum Israël.”» Tunc Heródes, clam vocátis Magis, diligénter dídicit ab eis tempus stellæ, quæ appárauit eis: et mittens ilos in Béthlehem dixit: «Ite, et interrogáte dillgénter de puero et cum invenéritis, reuntiáte mihi, ut et ego véniens adórem eum.» Qui cum audíssent regem, abiérunt. Et ecce stella, quam víderant in Oriénte, antecedébat eos, usque dum véniens, staret supra, ubi erat puer. Vidéntes autem stellam, gavísi sunt gáudio magno valde. Et intrántes domum, invenérunt púerum cum María matre ejus, (hic genuflectitur) et procidéntes adoravérunt eum. Et apértis thesáuris suis, obtulérunt ei múnera, aurum, thus, et myrrham. Et responso accépto in somis, ne redírent ad Heródem, per áliam viam revérsi sunt in regiónem suam.


Continuação do santo Evangelho segundo São Mateus.

TENDO Jesus nascido em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, eis que magos, vindo do Oriente, chegaram a Jerusalém, dizendo: “Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente, e viemos adorá-lo.” Ouvindo aquilo, o rei Herodes perturbou-se e, com ele, toda Jerusalém. Reuniu todos os chefes dos sacerdotes e escribas do povo, e perguntou-lhes onde devia nascer o Messias. Eles lhe disseram: “Em Belém da Judéia, porque eis o que está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, tu não és sem dúvida a menor entre as cidades de Judá; pois de ti sairá um chefe, que será o pastor de Israel meu povo.” Então Herodes convocou secretamente os magos e fê-los dizer exatamente o tempo em que a estrela aparecera; em seguida, enviando-os a Belém, lhes disse: “Ide informar-vos com exatidão sobre o menino. E quando o tiverdes encontrado, avisai-me, a fim de que eu também vá adorá-lo.” Tendo ouvido o rei, eles partiram. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente os precedia, até deter-se, enfim, sobre o lugar em que estava o menino. “Vendo a estrela, alegraram-se com grande alegria. Entrando, então, na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, (aqui ajoelha-se) e, prostrando-se, o adoraram. Abrindo os seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes o ouro, o incenso e a mirra. Depois, instruídos em sonho para que não voltassem a Herodes, regressaram a seu país por um outro caminho.


Credo.


OFERTÓRIO

(Sl 71,10-11)

REGES Tharsis et ínsulæ múnera ófferent: reges Arabum et Saba dona addúcent: et adorábunt eum omnes reges terræ; omnes gentes sérvient ei.


OS REIS de Tarsis e das ilhas oferecer-Lhe-ão presentes; os reis da Arábia e de Sabá trarão donativos; adorá-Lo-ão todos os reis da terra e os povos todos da terra e os povos todos O servirão.


SECRETA

ECCLÉSIÆ tuæ, quǽsumus, Dómine, dona propítious intuére: quibus non jam aurum, thus, et myrrha profértur; sed quod eisdem munéribus declarátur, immolátor, et súmitur, Jesus Christus Fílius tuus Dóminus noster. Qui tecum.


NÓS vos pedimos, ó Senhor, olhai propício para as ofertas de vossa Igreja, que não mais vos oferece ouro, incenso e mirra, mas Aquele mesmo que estes dons simbolizam, e que é agora imolado e recebido como Alimento, Jesus Cristo, vosso Filho, Nosso Senhor, que convosco vive e reina.


Prefácio e Communicántes da Epifania.


COMUNHÃO

(Mt 2,2)

VÍDIMUS stellam ejus in Oriénte, et vénimus cum munéribus adoráre Dóminium.


VIMOS sua estrela no Oriente, e viemos com presentes adorar o Senhor.


PÓSCOMUNHÃO

PRÆSTA, quǽsumus, omnípotens Deus: ut quæ solémni celebrámus offício, purificátæ mentis intelligéntia consequámur. Per Dóminum.


FAZEI, ó Deus onipotente, nós vos pedimos, que alcancemos com inteligência e pureza de alma o Mistério que celebramos com tão festivo ofício. Por Nosso Senhor.



RECURSOS:

COMENTÁRIOS LITÚRGICOS: Dom Gueranger

Partes próprias da Missa: partituras

Intróito: áudio

Coleta em tom solene: partitura

Epístola: partitura / áudio

Gradual: áudio

Aleluia: áudio

Evangelho: partitura-antiquior / áudio

Ofertório: áudio

Comunhão: áudio

Póscomunhão em tom solene: partitura

Sermão:

Meditação: Epifania de Nosso Senhor Jesus Cristo



#epifania #reismagos #missatridentina #propriodamissa #latinmass

SIGA-NOS:

  • YouTube
  • Twitter ícone social
  • Pinterest
  • Facebook ícone social

© 2020 Apostolado FERR - Forma Extraordinária do Rito Romano