• Apostolado FERR

Missa da Quarta-feira de Cinzas



IV FEIRA DE CINZAS

Féria de I classe, paramentos roxos

Estação em Santa Sabina


A Estação da Missa é em Santa Sabina, do Monte Aventino, onde começamos os santos jejuns quaresmais. Façamos penitência e imploremos a misericórdia de Deus.


Pela imposição das cinzas recebemos hoje o convite oficial da Igreja, para fazermos penitência: “Lembra-te, ó homem, que és pó e em pó te hás de tornar”. A cinza é simbolo de penitência pelos pecados que trouxeram a morte para este mundo. As orações da bênção e imposição das cinzas e as da Missa nos fazem penetrar no espírito da penitência cristã: humilde submissão, unida a uma grande confiança na misericórdia de Deus (Intróito, Trato). Enquanto a Epístola nos põe diante dos olhos um exemplo comovente de penitência, o jejum, Jesus Cristo nos ensina no Evangelho que este jejum, deve ser, antes de tudo interior. Se antigamente só os pecadores públicos recebiam as cinzas, mais tarde foi estendida esta prática a todos os fiéis, pois todos devem sentir-se e confessar-se pecadores e fazer penitência.


BÊNÇÃO DAS CINZAS

A cerimônia é realizada antes da Missa. O sacerdote, revestido de capa roxa, ou, na falta dela, sem casula, procede à bênção das cinzas. Começa-se pela antífona seguinte:


ANTÍFONA

(Sl 68,17,2)

EXAUDI nos, Dómine, quóniam benígna est misericórdia tua: secúndum multitúdinem miseratiónum tuárum réspice nos, Dómine. PS. Salvum me fac, Deus: quóniam intravérunt aquæ usque ad ánimam meam. Glória Patri. Exáudi nos.


OUVI-NOS, Senhor, porque é benigna a vossa misericórdia; segundo a multidão de vossas comiserações, olhai para nós, Senhor. Ps. Salvai-me, ó Deus, porque as águas da tribulação penetram até a minha alma. Glória ao Pai. Ouvi-nos.


V. Dóminus vobíscum

R. Et cum spíritu tuo

Oremus. Oratio

Omnípotens sempitérne Deus, parce pæniténtibus, propitiáre supplicántibus: et míttere dignéris sanctum Angelurn tuum de cœlis, qui bene+dícat et sanctí+ficet hos cíneres, ut sint remédium salúbre ómnibus nomen sancturn tuum humíliter implorántibus, ac semetípsos pro consciéntia delictórum suórum accusántibus, ante conspécturn divinæ cleméntiæ tuæ facínora sua deplorántibus, vel sereníssimam pietátem tuam supplíciter obnixéque flagitántibus: et præsta per invocatiónem sanctissimi nóminis tui; ut, quicúmque per eos aspérsi fúerint, pro redemptióne peccatórum suórum, córporis sanitátem, et ánimæ tutélam percípiant. Per Christum Dóminum nostrum.

R. Amen.


V. O Senhor esteja convosco.

R. E com teu espírito.

Oremos. Oração

Ó Deus onipotente e eterno, perdoai aos penitentes, sede propício para com os suplicantes e dignai-Vos enviar do céu o vosso santo Anjo, que aben+çoe e santifique estas cinzas. Sejam elas remédio salutar para todos os que humildemente invocam o vosso santo Nome, e reconhecendo os seus delitos, a si mesmos se acusam, e deploram na presença de vossa divina clemência os seus crimes ou solicitam humilde e instantemente a vossa soberana misericórdia. Concedei, pela invocação do vosso santíssimo Nome, que todos os que forem aspergidos com estas cinzas além da remissão de seus pecados, recebam a saúde do corpo e a proteção da alma. Pelo Cristo, Senhor nosso.

R. Amém.


Oremus. Oratio

Deus, qui non mortem, sed pæniténtiam desíderas peccatórum: fragilitátem conditiónis humánæ benigníssime réspice; et hos cíneres, quos, causa proferéndæ humilitátis atque promeréndæ véniæ, capítibus nostris impóni decérnimus, bene+dícere pro tua pietáte dignáre: ut, qui nos cínererem esse, et ob pravitátis nostræ deméritum in púlverern reversúros cognóscimus; peccatórurn ómnium véniam, et praemia pæniténtibus repromíssa, misericórditer cónsequi mereámur. Per Christum Dóminum nostrum.

R. Amen.


Oremos. Oração

Ó Deus, que não desejais a morte, mas sim a penitência dos pecadores, olhai benigníssimo para a fragilidade da natureza humana e dignai-Vos, por vossa piedade, aben+çoar estas cinzas que desejamos sejam impostas às nossas cabeças em sinal de nossa humildade e do perdão que esperamos. Fazei que, reconhecendo que somos cinza e que em pó nos tornaremos em punição de nossa maldade, mereçamos alcançar de vossa misericórdia o perdão de todos os nossos pecados e as recompensas prometidas aos que fazem penitência. Pelo Cristo, Senhor nosso.

R. Amém.


Oremus. Oratio

Deus, qui humiliatióne flécteris, et satisfactióne placáris: aurem tuæ pietátis inclína précibus nostris; et capítibus servórurn tuórum, horurn cínerum aspersióne contáctis, effúnde propítius grátiam tuæ benedictiónis: ut eos et spíritu compunctiónis répleas et, quæ juste postuláverint, efficáciter tríbuas; et concéssa perpétuo stabilíta et intácta manére decérnas. Per Christum Dóminurn nostrum.

R. Amen


Oremus. Oração

Ó Deus, que Vos deixais abrandar pela humildade, e pela reparação Vos aplacais, inclinai os ouvidos de vossa misericórdia às nossas preces, e sobre as cabeças de vossos servos aspergidas com estas cinzas, derramai, propício a graça de vossa bênção. Dai-lhes o espírito de compunção, concedei-lhes eficazmente o que justamente pedirem, e conservai-lhes perpetuamente estável e intacto o que de vossa mão receberam. Pelo Cristo, Senhor Nosso.

R. Amém.


Oremus. Oratio

Omnípotens sempitérne Deus, qui Ninivítis in cínere et cilício pæniténtibus, indulgéntiæ tuæ remédia præstitísti: concéde propítius; ut sic eos imitémur hábitu, quátenus véniæ prosequámur obténtu. Per Christum Dóminum nostrum.

R. Amen


Oremus. Oração

Ó Deus onipotente e eterno, que concedestes o remédio de vossa indulgência aos Ninivitas, que fizeram penitência sob a cinza e o cilício, concedei-nos, benigno, que de tal sorte os imitemos que como eles obtenhamos também o vosso perdão. Por Nosso Senhor.

R. Amém.


IMPOSIÇÃO DAS CINZAS

Terminadas estas Orações, o Celebrante, impõe incenso no turíbulo, asperge as cinzas três vezes com água benta dizendo a antífona Asperges, sem canto e sem salmo, e as incensa três vezes.


Então o sacerdote mais digno do clero se aproxima do Altar, impõe cinzas sobre a cabeça do Celebrante que permanece em pé. Se não houver outro sacerdote, o próprio Celebrante, voltado para o Altar e inclinado, impõe-se a si mesmo na cabeça, sem dizer nada.


Enquanto isso, o coro canta:

Antífonas

(Joel 2,13.17; Ester 13,17)

Immutémur hábitu, in cínere et cilício: jejunémus, et plorémus ante Dóminum: quia multum miséricors est dimíttere peccáta nostra Deus noster.

Inter vestíbulum et altáre plorábunt sacerdótes minístri Dómini, et dicent: Parce, Dómine, parce pópulo tuo et ne claudas ora canéntium te, Dómine.


Mudemos de vestimenta e cubramo-nos com a cinza e o cilício; jejuemos e choremos diante do Senhor, pois nosso Deus é muito misericordioso e pronto a perdoar os nossos pecados.

Entre o vestíbulo e o altar chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, dizendo: Perdoai, Senhor, perdoai ao vosso povo, e não fecheis a boca dos que entoam os vossos louvores, ó Senhor.


Responsório

(Ester 13; Joel 2; Salmo 78,9)

Emendémus in mélius, quæ ignoránter peccávimus: ne súbito præoccupáti die mortis, quærámus spátium pæniténtiæ, et inveníre non possímus. * Atténde, Dómine, et miserére: quia peccávimus tibi. V. Adjuva nos, Deus salutáris noster: et propter honórem nóminis tui, Dómine, líbera nos. * Atténde, Dómine, et miserére: quia peccávimus tibi. V. Glória Patri, et Fílio, et Spirítui Sancto. * Atténde, Dómine.


Emendemos para o bem, o mal que praticamos por ignorância; não seja que, surpreendidos pelo dia da morte, procuremos tempo de penitência, e não possamos achá-lo. * Atendei-nos, Senhor, e tende piedade de nós, porque pecamos contra Vós. V. Ajudai-nos, ó Deus, Salvador nosso, e pela glória de vosso Nome, livrai-nos, Senhor. * Atendei-nos, Senhor. V. Glória ao Pai. * Atendei-nos, Senhor.


O sacerdote, enquanto se cantam as antífonas e o responsório, com a cabeça descoberta, primeiro impõe as cinzas na cabeça do mais digno do clero [na tonsura], de quem recebeu as cinzas, depois aos ministros sagrados paramentados, estando estes de joelhos diante do altar [supedâneo], dizendo:


Meménto, homo, quia pulvis es, et in púlverem revertéris. (Gn 3,19)


Lembra-te, ó homem, que és pó, e em pó te hás de tornar.


Depois vem os outros clérigos, por ordem de dignidade, depois o povo: de joelhos diante do altar [mesa de comunhão], cada um recebe as cinzas do sacerdote, como o dito para os ministros. Acabada a imposição das cinzas, o sacerdote diz:


V. Dóminus vobíscum

R. Et cum spíritu tuo

Oremus. Oratio

Concéde nobis, Dómine, præsídia milítiæ christiánæ sanctis inchoáre jejúniis: ut, contra spiritáles nequítias pugnatúri, continéntiæ muniámur auxíliis. Per Christum Dóminum nostrum.

R. Amén.


V. O Senhor esteja convosco.

R. E com teu espírito.

Oremos. Oração

Permiti, Senhor, que iniciemos com santos jejuns o combate da milícia cristã, a fim de que, tendo que lutar contra os espíritos do mal, sejamos munidos dos auxílios da abstinência. Por Cristo Nosso Senhor.

R. Amém.


Na Missa que se diz após a bênção e imposição das cinzas se omitem todas as orações que se dizem ao pé do altar, assim como as orações Aufer a nobis e Orámus te, Dómine, mas não o ósculo do altar.


SANTA MISSA


INTRÓITO

(Sb 11,24-27; Sl 56,2)

MISERÉRIS omnium, Dómine, et nihil odísti eorum quæ fecísti, dissímulans peccata hóminum propter pœniténtiam et parcens illis: quia tu es Dóminus, Deus noster. PS. Miserére mei, Deus, miserére mei: quoniam in te confídit anima mea. Glória Patri.


SENHOR, tendes piedade de todos e não odiais nenhuma das vossas criaturas. Vós usais de indulgência para com os pecados dos homens e lhes perdoais quando eles fazem penitência; porque sois o Senhor, nosso Deus. SL. Tende piedade de mim, porque minha alma confia em Vós. Glória ao Pai.


COLETA

PRÆSTA, Dómine, fidélibus tuis: ut jejuniórum veneránda solémnia, et cóngrua pietáte suscípiant, et secúra devotióne percúrrant. Per Dóminum

R. Amén.


CONCEDEI, Senhor, a vossos fiéis, que iniciem com piedade sincera a solenidade destes santos jejuns, e com devoção condigna os levem até o fim. Por Nosso Senhor.

R. Amém.


EPÍSTOLA

(Joel 2,12-19)

Léctio Joélis Prophétæ.

HÆC dicit Dóminus: Convertímini ad me in toto corde vestro, in jejúnio, et in fletu, et in planctu. Et scíndite corda vestra, et non vestiménta vestra, et convertímini ad Dóminum Deum vestrum: quia benígnus et miséricors est, pátiens, et multæ misericórdiæ, et præstábilis super malítia. Quis scit, si convertátur, et ignóscat, et relínquat post se benedictiónem, sacrifícium, et libámen Dómino Deo vestro? Cánite tuba in Sion, sanctificáte jejúnium, vocáte cœtum, congregáte pópulum, sanctificáte ecclésiam, coadunáte senes, congregáte párvulos et sugéntes úbera: egrediátur sponsus de cubíli suo, et sponsa de thálamo suo. Inter vestíbulum et altáre plorábunt sacerdótes minístri Dómini, et dicent: Parce, Dómine, parce pópulo tuo: et ne des hereditátem tuam in oppróbrium, ut Dóminéntur eis natiónes. Quare dicunt in pópulis: Ubi est Deus eórum? Zelátus est Dóminus terram suam, et pepércit pópulo suo. Et respóndit Dóminus, et dixit pópulo suo: Ecce ego mittam vobis fruméntum et vinum et óleum, et replebímini eis: et non dabo vos ultra oppróbrium in géntibus: dicit Dóminus omnípotens.


Leitura do Profeta Joel.

EIS o que disse o Senhor: Convertei-vos de todo o vosso coração em jejuns, em lágrimas e gemidos. Rasgai vossos corações e não vossos vestidos; convertei-vos ao Senhor, vosso Deus, que é benigno e compassivo, paciente e rico em misericórdia, e pronto a perdoar a maldade. Quem sabe se Ele não se voltará para vós, se vos perdoará, e não deixará uma bênção atrás de Si, [para apresentardes novamente] sacrifício e libação ao Senhor, vosso Deus? Tocai a trombeta em Sião, guardai um jejum sagrado, convocai a assembleia, reuni o povo, santificai a Igreja, reuni os velhos, congregai os pequeninos e os meninos de peito; saia o esposo de seu aposento e a esposa do seu leito nupcial. Os sacerdotes, ministros do Senhor, chorem entre o vestíbulo e o altar, dizendo: Perdoai, Senhor, perdoai ao vosso povo, e não deixeis cair a vossa herança no opróbrio, expondo-a aos insultos das nações. Porque se diria entre as nações: Onde está o seu Deus? O Senhor zela por sua terra e perdoa o seu povo. E o Senhor responde e diz a seu povo: Eis que vou enviar-vos trigo, vinho e azeite; deles ficareis abastecidos e nunca mais vos entregarei aos insultos das nações. Assim disse o Senhor onipotente.


GRADUAL

(Sl 56,2.4)

MISERÉRE mei, Deus, miserére mei: quoniam in te confídit ánima mea. V. Misit de cælo, et liberávit me, dedit in oppróbrium conculcántes me.


TENDE piedade de mim, ó Deus, tende piedade de mim, porque a minha alma confia em Vós. V. Enviou do céu o seu auxilio e livrou-me; cobriu de opróbrio os que me espezinhavam.


TRACTO

(Sl 102,10; 70,8-9)

DÓMINE, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retribuas nobis. V. Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrárum antiquárum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis.

(Hic genuflectitur)

V. Adjuva nos, Deus salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, líbera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.


SENHOR, não nos trateis segundo os pecados que cometemos, nem nos castigueis como merecem as nossas iniquidades. V. Senhor, não Vos recordeis de nossos antigos delitos. Venham depressa ao nosso encontro vossas misericórdias, porque fomos reduzidos à extrema miséria.

(Aqui todos se ajoelham)

V. Ajudai-nos, ó Deus, salvação nossa, e para glória de vosso Nome, livrai-me, Senhor; e perdoai-nos os nossos pecados, para honra de vosso Nome.


EVANGELHO

(Mt 6,16-21)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

IN illo témpore: dixit Jesus discípulis suis: Cum jejunátis, nolite fíeri sicut hipócrita, tristes. Extérminant enim fácies suas, ut appáreant homínibus jejunántes. Amen dico vobis, quia recepérunt mercédem suam. Tu autem, cum jejúnas, unge caput tuum, et fáciem tuam lava, ne videáris homínibus jejúnans, sed Patri tuo, qui est in abscóndito: et Pater tuus, qui videt in abscóndito, reddet tibi. Nolíte thesaurizáre vobis thesáuros in terra: ubi ærúgo et tínea demolítur: et ubi fures effódiunt et furántur. Thesaurizáte autern vobis thesáuros in cœlo: ubi neque ærúgo neque tínea demolítur; et ubi fúres non effódiunt nec furántur. Ubi enim est thesáurus tuus, ibi est et cor tuum.


Continuação do santo Evangelho segundo São Mateus.

NAQUELE tempo, disse Jesus a seus discípulos: Quando jejuardes, não tomeis um ar tristonho, como o fazem os hipócritas, que desfiguram suas faces, para que os homens vejam como jejuam. Em verdade, eu vos digo: já receberam-a recompensa. Mas, quando tu jejuares, unge a tua cabeça e lava o teu rosto, para que não mostres aos homens que estás jejuando, mas só a teu Dai, que está presente ao que há de mais secreto; e teu Dai, que vê no oculto, te dará a recompensa. Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e a traça consomem e onde os ladrões desenterram e roubam. Ajuntai, porém, tesouros no céu, onde não há ferrugem nem traça que consomem, nem ladrões que desenterram e roubam. Porque onde está o teu tesouro, esta também aí o teu coração.


OFERTÓRIO

(Sl 29,2-3)

EXALTÁBO te, Dómine, quoniam suscepísti me, nec delectásti inimicos meos super me: Dómine, clamávi ad te, et sanásti me.


EXALTAR-VOS-EI, Senhor, porque me recebestes e não deixastes que os meus inimigos se alegrassem à minha custa. A Vós, clamei, Senhor, e me curastes.


SECRETA

FAC nos, quaesumus, Dómine, his munéribus offeréndis conveniénter aptári: quibus ipsíus venerábilis sacraménti celebrámus exórdium. Per Dóminum nostrum.


SENHOR, nós Vos rogamos que nos façais dignos de Vos oferecer estas dádivas, com as quais celebramos o início deste augusto Mistério. Por Nosso Senhor.


Prefácio da Quaresma.


COMUNHÃO

(Sl 1,2.3)

QUI meditábitur in lege Dómini die ac nocte, dabit fructum suum in témpore suo.


O que medita na lei do Senhor de dia e de noite dará seu fruto, em tempo próprio.


PÓSCOMUNHÃO

PERCÉPTA nobis, Dómine, praebeant sacraménta subsídium: ut tibi grata sint nostra jejúnia, et nobis proficiant ad medélam. Per Dóminum.


SENHOR, prestem-nos auxílio os Sacramentos recebidos, a fim de que nossos jejuns Vos agradem e sirvam de remédio para as nossas almas. Por Nosso Senhor.


Durante a Quaresma, em todas as Missas do Tempo, o sacerdote acrescenta a oratio super populum, dizendo absolutamente:


ORAÇÃO SOBRE O POVO

Oremus.

Humiliáte cápita vestra Deo.

INCLINÁNTES se, Dómine, majestáti tuæ, propitiátus inténde: ut qui divíno múnere sunt refécti, cæléstibus semper nutriántur auxíliis. Per Dóminum.


Oremos.

Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

ATENDEI, Senhor, benignamente aos que se humilham perante vossa Majestade, para que, nutridos com este Dom divino, sejam sempre amparados com os auxílios celestes. Por Nosso Senhor.


Pode-se dizer:

V. Benedicámus Dómino.

R. Deo Grátias.



RECURSOS:

COMENTÁRIOS LITÚRGICOS: Dom Gueranger

Partes próprias da Missa: partituras

Antífona Exaudi nos: Áudio

Bênção das Cinzas: Áudio

Antífona Immutemur: Áudio

Antífona Juxta vestibulum: Áudio

Antífona Emendemus: Áudio

Oração da Imposição das Cinzas: Partitura

Intróito: áudio

Coleta em tom solene: partitura

Epístola: partitura / áudio

Gradual: áudio

Tracto: áudio

Evangelho: partitura-antiquior / áudio

Ofertório: áudio

Comunhão: áudio

Póscomunhão em tom solene: partitura

Oração Super Populum: Partitura

Sermão:

Meditação: A lembrança da morte e o jejum quaresmal



#cinzas #quaresma #propriodamissa #missatridentina #jejum

SIGA-NOS:

  • YouTube
  • Twitter ícone social
  • Pinterest
  • Facebook ícone social

© 2020 Apostolado FERR - Forma Extraordinária do Rito Romano