• Apostolado FERR

Missa da Quinta-feira Santa - In Cena Domini



MISSA DA TARDE

QUINTA-FEIRA SANTA “IN CENA DOMINI”

I classe, paramentos brancos

Estação em São João do Latrão

Feria-Quinta in Coena Dómíni, isto é, Quinta-feira da Ceia do Senhor, eis como a Liturgia designa o dia de hoje. Este nome nos indica o grande acontecimento que a santa Igreja comemora: a instituição do Sacrifício e Sacramento da Eucaristia e do Sacramento da Ordem.


Como no Domingo de Ramos, reunimo-nos em São João de Latrão, mãe de todas as igrejas de Roma e do Universo, a mais nobre e mais antiga basílica, catedral do supremo Pastor da Igreja. Nela se conserva e venera ainda hoje a mesa em que o divino Salvador celebrou a última Ceia. O altar de nossa igreja é uma continuação daquela venerável mesa.


A Missa é festiva, com os paramentos brancos. Canta-se o Glória, durante o qual tocam festivamente os sinos, que depois emudecem até o Glória no Sábado Santo.


Poucas passagens há, no ano eclesiástico, tão impressionantes e comovedoras para o coração do crente, quanto esta Missa, em que se mesclam alegria imensa e profunda tristeza.


Hoje só é celebrada uma santa Missa, durante a qual todos os Sacerdotes (e todos os cristãos assim o deveriam fazer) recebem a sua Comunhão Pascal da mão do Celebrante. Este consagra duas Hóstias grandes, das quais conserva uma, que, depois da Missa, é levada processionalmente ao altar da exposição, ornado de flores e de luzes.


Faz-se a adoração do Santíssimo Sacramento, sem interrupção, até a Missa do dia seguinte, em que esta Hóstia é consumida pelo Celebrante.


Depois da procissão, não há mais Santíssimo no Tabernáculo cuja porta fica aberta em sinal de tristeza. Apaga-se a lâmpada do Santíssimo e faz-se a denudação dos altares, significando pesar porque Jesus Cristo se afastou.


Nas catedrais, os Bispos consagram neste dia os santos óleos: o óleo dos enfermos, o santo Crisma, e o óleo dos catecúmenos. Da união com o santo Sacrifício, renovação do Sacrifício do Calvário, todos os Sacramentos recebem a sua força.


Na antiguidade cristã, era feita neste dia, a reconciliação dos pecadores que tinham recebido as cinzas no início da Quaresma e durante este tempo haviam feito penitência. Na Missa recebiam o sacramento da união, a santa Comunhão pascal.


INTRÓITO

(Gl 6,14; Sl 66,2)

NOS autem gloriari oportet in cruce Domini Nostri Jesu Christi: in quo est salus, vita et resurrectio nostra per quem salvati et liberati sumus. PS. Deus misereatur nostri, et benedicat nobis: illúminet vultum suum super nos, et miseratur nostri. – Nos autem.


QUANTO a nós, devemos gloriar-nos na Cruz de Nosso Senhor lesús Cristo. N’Ele está a nossa salvação, vida e ressurreição. Por Ele fomos salvos e livres. SL. Deus tenha piedade de nós e nos abençoe, faça resplandecer sobre nós a sua Face e se compadeça de nós. – Quanto a nós.


COLETA

DEUS, a quo et Judas reatus sui poenam, et confessionis suae latro praemium sumpsit, concede nobis tuae propitiationis effectum; ut, sicut in passione sua Jesus Christus Dominus noster diversa utrisque intulit stipendia meritorum; ita nobis, ablato vetustatis errore, resurrectionis suae gratiam largiatur. Qui tecum vivit et regnat in unitate Spiritus Sancti, Deus, per omnia saecula saeculorum.


Ó DEUS, de quem Judas recebeu o castigo de seu pecado, e o ladrão a recompensa de sua profissão de fé, concedei-nos o efeito de vossa misericórdia, a fim de que, como Nosso Senhor Jesus Cristo em sua Paixão, a um e outro tratou segundo os méritos, assim também, destruída a nossa antiga maldade, nos conceda a graça de sua Ressurreição, Ele, que, sendo Deus, convosco vive e reina.

EPÍSTOLA

(1Cor 11,20-32)

Lectio Epistolae beati Pauli Apostoli ad Corinthios.

FRATRES: Conveniéntibus vobis in unum, jam non est Domínicam cœnam manducáre. Unusquísque enim suam cœnam præsúmit ad manducándum. Et álius quidem ésurit: álius autem ébrius est. Numquid domos non habétis ad manducándum et bibéndum? aut ecclésiam Dei contémnitis, et confúnditis eos, qui non habent? Quid dicam vobis? Laudo vos? In hoc non laudo. Ego enim accépi a Dómino, quod et trádidi vobis, quóniam Dóminus Jesus, in qua nocte tradébatur, accépit panem, et grátias agens fregit, et dixit: Accípite, et manducáte: hoc est corpus meum, quod pro vobis tradétur: hoc fácite in meam commemoratiónem. Simíliter et cálicem, postquam cœnávit, dicens: Hic calix novum testaméntum est in meo sánguine: hoc fácite, quotiescúmque bibétis, in meam commemoratiónem. Quotiescúmque enim manducábitis panem hunc, et calicem bibétis: mortem Dómini annuntiábitis donec veniat. Itaque quicúmque manducáverit panem hunc vel bíberit cálicem Dómini indígne, reus erit córporis et sánguinis Dómini. Probet autem seípsum homo, et sic de pane illo edat, et de cálice bibat. Qui enim mandácat et bibit ingígne, judícium sibi mandúcat et bibit: non dijúdicans corpus Dómini. Ideo inter vos multi infírmi et imbecílles, et dórmiunt multi. Quod si nosmetípsos dijudicarémus, non útique judicarémur. Dum judicámur autem, a Dómino corrípimur, ut non cum hoc mundo damnémur.


Leitura da primeira Epístola de são Paulo aos Corintios.

IRMÃOS, quando realizais as vossas reuniões, já não é a ceia do Senhor que vós comeis! Pois na hora de comer, cada um toma logo a sua própria refeição, e um tem fome enquanto o outro se embriaga! Não tendes casas para comer e beber? Ou desprezais a igreja de Deus e quereis humilhar aqueles que nada têm? Que vos direi? Irei, acaso, felicitar-vos? Não; neste ponto não vos felicito. Eu recebi do Senhor o que por minha vez vos transmiti: o Senhor Jesus, na noite em que foi entregue, tomou o pão, e, tendo dado graças, partiu-o e disse: “Tomai e comei, isto é o meu corpo entregue por vós. Fazei isto em memória de mim.” Tomando igualmente o cálice, após a refeição, ele disse: “Este cálice é a nova Aliança no meu sangue. Fazei-o, cada vez que o beberdes, em memória de mim.” Todas as vezes que comeis este pão e bebeis este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha. Assim, todo aquele que come o pão ou bebe o cálice do Senhor indignamente deverá responder pelo corpo e pelo sangue do Senhor. Que cada um se examine, e só então coma deste pão e beba deste cálice; porque aquele que coma e beba indignamente, come e bebe sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. É por isto que há entre vós muitos doentes e enfermos, e grande número de mortos. Se soubéssemos julgar a nós mesmos, não seríamos julgados. Mas, julgados pelo Senhor, somos por ele corrigidos, para não sermos condenados com este mundo.


GRADUAL

(Fl 2,8-9)

CHRISTUS factus est pro nobis obediens usque ad mortem, mortem autem crucis. V. Propter quod et Deus exaltavit illum: et dedit illi nomen, quod est super omne nomen.


CRISTO fez-se por nós obediente até a morte, e morte de cruz. V. Por isso Deus o exaltou, e deu-lhe um Nome acima de todos.


EVANGELHO

(Jo 13,1-15)

Sequentia sancti Evangelii secundum Ioannem.

ANTE diem festum Paschæ, sciens Jesus, quia venit hora ejus, ut tránseat ex hoc mundo ad Patrem: cum dilexísset suos, qui erant in mundo, in finem diléxit eos. Et cœna facta, cum diábolus jam misísset in cor, ut tráderet eum Judas Simónis Iscariótæ: sciens quia ómnia dedit ei Pater in manus, et quia a Deo exívit, et ad Deum vadit: surgit a cœna, et ponit vestiméntia sua: et cum accepísset línteum, præcínxit se. Deínde mittit aquam in pelvim, et cœpit laváre discipulórum, et extérgere linteum, quo erat præcínctus. Venit ergo ad Simónem Petrum. Et dicit ei Petrus: "Dómine, tu mihi lavas pedes?" Respóndit Jesus, et dixit ei: "Quod ego fácio, tu nescis modo, scies autem póstea." Dicit ei Petrus: "Non lavábis mihi pedes in ætérnum." Respóndit ei Jesus: "Si non lávero te, non habébis partem mecum." Dicit ei Simon Petrus: "Dómine, non tantum pedes meos, sed et manus et caput." Dicit ei Jesus: "Qui lotus est, non índiget nisi ut pedes lavet, sed est mundus totus. Et vos mundi estis, sed non omnes." Sciébat enim quisnam esset qui tráderet eum: proptérea dixit: "Non estis mundi omnes." Postquam ergo lavit pedes eórum, et accépit vestiméntia sua: cum recubuísset íterum, dixit eis: "Scitis quid fécerim vobis? Vos vocátis me Magíster et Dómine: et bene dícitis: sum étenim. Si ergo ego lavi pedes vestros, Dóminus et Magíster: et vos debétis alter altérius laváre pedes. Exémplum enim dedi vobis, ut, quemadmodum ego feci vobis, ita et vos faciátis."


Continuação do santo Evangelho segundo São João.

ANTES da festa da Páscoa, sabendo que chegara para ele a hora de passar deste mundo a seu Pai, Jesus, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. Ora, durante a ceia, quando o demônio já havia posto no coração de Judas Iscariote, filho de Simão, a decisão de entregá-lo, sabendo que o Pai lhe havia posto tudo entre as mãos, que saíra de Deus e voltava a Deus, levanta-se da mesa, despe o manto, e toma uma toalha que amarra à cintura. Em seguida, derrama água na bacia, e põe-se a lavar os pés de seus discípulos, enxugando-os com a toalha que cingira. Chega, então, diante de Simão Pedro. E Pedro lhe disse: “Senhor, tu me lavas os pés?” Jesus respondeu-lhe: “Aquilo que eu faço, não o sabes agora; depois compreenderás.” Pedro lhe disse: “Não, jamais me lavarás os pés.” Jesus respondeu-lhe: “Se eu não te lavo, não terás parte comigo.” Simão Pedro lhe disse: “Senhor, não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça!” Jesus lhe disse: “Aquele que tomou um banho não tem necessidade de lavar-se, senão os pés: pois está todo puro. Vós também estais puros, mas não todos.” Ele sabia, com efeito, quem iria entregá-lo; eis porque dissera: “Não estais todos puros.” Ora, quando acabou de lavar-lhes os pés, e retomou o manto e retornou à mesa, ele lhes disse: “Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais: Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque o sou. Se, pois, eu vos lavei os pés, eu, o Senhor e Mestre, deveis também lavar-vos os pés uns aos outros. Foi um exemplo que vos dei, a fim de que façais, vós também, como eu vos fiz.”


Recomenda-se uma breve homilia que ilustre os mistérios deste dia.

Não se diz o Credo.


Depois do Evangelho no qual a ação do Senhor é contada, o celebrante tira sua casula, amarra uma toalha de linho na cintura e se dirige àqueles a quem deve lavar os pés. Ajoelha-se na frente de cada um deles e beije-os depois de lavá-los. Enquanto isso, o coro canta as seguintes antífonas:


ANTÍFONA

(Jo 13,34; Sl 118,1)

MANDATUM novum do vobis: ut diligatis invicem, sicut dilexi vos, dicit Dominus.

PS. Beati immaculati in via: qui ambulant in lege. – Mandatum.


UM novo mandamento eu vos dou: amai-vos uns aos outros, como eu vos amei, diz o Senhor. SL. Felizes são os puros em seu caminho: aqueles que andam na Lei do Senhor. – Um novo.


ANTÍFONA

(Jo 13,4,5,15; Sl 47,2)

POSTQUAM surrexit Dominus a cena, misit aquam in pelvim, et coepit lavare pedes discipulorum: hoc exemplum reliquit eis. PS. Magnus Dominus, et laudabilis nimis: in civitate Dei nostri, in monte sancto eius. Postquam.


DEPOIS que o Senhor se levantou da Ceia, derramou água em uma bacia e começou a lavar os pés de seus discípulos: esse exemplo os deixou. SL. Grande é o Senhor e muito digno de louvor: na cidade do nosso Deus e no seu monte santo. – Depois que o Senhor.


ANTÍFONA

(Jo 13,12,13,15; Sl 84,2)

DOMINUS Iesus, postquam cenavit cum discipulis suis, lavit pedes eorum, et ait illis: «Scitis quid fecerim vobis ego, Dominus et Magister? Exemplum dedi vobis, ut et vos ita faciatis». PS. Benedixisti, Domine, terram tuam: avertisti captivitatem Iacob. – Dominus Iesus.


O SENHOR Jesus, depois de ceiar com seus discípulos, lavou seus pés e disse-lhes: Sabeis o que eu, vosso Senhor e Mestre, acabo de vos fazer? Eu dei-vos um exemplo para façais o mesmo. SL. Abençoastes a vossa terra, Senhor. Repatriastes os cativos de Jacob. – O Senhor Jesus.


ANTÍFONA

(Jo 13,6-7,8)

«DOMINE, tu mihi lavas pedes?» Respondit Iesus, et dixit ei: «Si non lavero tibi pedes, non habebis partem mecum». V. Venit ergo ad Simonem Petrum, et dixit ei Petrus. R. Domine, tu. V. Quod ego facio, tu nescis modo: scies autem postea ». – R. Domine, tu.


SENHOR, lavarás meus pés? Jesus respondeu, e disse-lhe: Se não lavar os teus pés, não tereis parte comigo. V. Veio, pois, a Simão Pedro, e Pedro lhe disse: R. Senhor, lavarás meus pés? V. O que eu faço, não entendes agora: mas depois entenderá. – R. Senhor, lavarás meus pés?


ANTÍFONA

(Jo 13,14; Sl 48,2)

SI ego, Dominus et Magister vester, lavi vobis pedes: quanto magis debetis alter alterius lavare pedes? » PS. Audite haec, omnes gentes: auribus percipite, qui habitatis orbem. Si ego, Dominus.


SE eu, teu Senhor e Mestre, lavei os teus pés, quanto mais deves lavar os pés uns dos outros? SL. Ouvi isso, todos os povos: escutai com vossos ouvidos aqueles que habitam a terra. – Se eu, teu Senhor.


ANTÍFONA

(Jo 13,15)

IN hoc cognoscent omnes, quia discipuli mei estis, si dilectionem habueritis ad invicem.

V. Dixit Iesus discipulis suis. – In hoc.


NISTO todos conhecerão que vós sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros.

V. Jesus disse aos seus discípulos. – Nisto todos conhecerão.


ANTÍFONA

(1 Cor 13,13)

MANEANT in vobis fides, spes, caritas, tria haec: maior autem horum est caritas. V. Nunc autem manent fides, spes, caritas, tria haec: maior horum est caritas. – Maneant.


Permaneçam em vós três coisas: fé, esperança e caridade; mas o maior delas é a caridade. V. Agora estas três coisas permanecem: fé, esperança e caridade; mas o maior delas é a caridade. – Permaneçam em vós.


Depois destas antífonas é cantado o hino seguinte, que nunca deve ser omitido, porque é uma exortação à caridade, da qual o lava-pés é um símbolo.


ANTÍFONA

(do século IX)

UBI caritas et amor, Deus ibi est.

V. Congregavit nos in unum Christi amor.

R. Exsultemus et in ipso iucundemur.

V. Timeamus et amemus Deum vivum.

R. Et ex corde diligamus nos sincero.


Ubi caritas et amor, Deus ibi est.

V. Simul ergo cum in unum congregamur:

R. Ne nos mente dividamur, caveamus.

V. Cessent iurgia maligna, cessent lites.

R. Et in medio nostri sit Christus Deus.


Ubi caritas et amor, Deus ibi est.

V. Simul quoque cum beatis videamus.

R. Glorianter vultum tuum, Christe Deus:

V. Gaudium, quod est immensum atque probum,

R. Saecula per infinita saeculorum. Amen.


ONDE há caridade e amor, Deus aí está.

V. O amor de Cristo nos uniu.

R. Exultemos e nos alegremos nele.

V. Temamos e amemos o Deus vivo.

R. E o amemos de coração sincero.


Onde há caridade e amor, Deus aí está.

V. Estando reunidos aqui como um.

R. Evitemos nos dividir em espírito.

V. Cessem as malignas brigas, e os processos.

R. E isso, em nosso meio, esse Cristo, Deus.


Onde há caridade e amor, Deus aí está.

V. Fazei que vejamos com os santos

R. A vossa Face gloriosa, ó Cristo Deus.

V. E a alegria, que é imensa e pura.

R. Pelos séculos dos séculos infinitos. Amém.


Após o rito do lava-pés, os ministros retomam seus paramentos, e no altar se diz:


PATER noster (secreto)

V. Et ne nos inducas in tentationem.

R. Sed libera nos a malo.

V. Tu mandasti mandata tua, Domine.

R. Custodiri nimis.

V. Tu lavasti pedes discipulorum tuorum.

R. Opera manuum tuarum ne despicias.

V. Domine, exaudi orationem meam.

R. Et clamor meus ad te veniat.

V. Dominus vobiscum.

R. Et cum spiritu tuo.


ADESTO, Domine, quaesumus, officio servitutis nostrae: et, quia tu discipulis tuis pedes lavare dignatus es, ne despicias opera manuum tuarum, quae nobis retinenda mandasti: ut, sicut hie nobis et a nobis exteriora abluuntur inquinamenta; sic a te ómnium nostrum interiora laventur peccata. Quod ipse praestare digneris, qui vivis et regnas in ssecula saeculorum. R. Amen.


PAI nosso (em voz baixa)

V. E não nos deixe cair em tentação.

R. Mas livra-nos do mal.

V. Nos destes os vossos mandamentos, Senhor.

R. Para guarda-los zelosamente.

V. Lavastes os pés dos vossos discípulos.

R. Não desprezeis as obras de vossas mãos.

V. Senhor, ouvi minha oração.

R. E meu clamor chegue até vós.

V. O Senhor esteja convosco.

R. E com teu espírito


ROGAMO-VOS, Senhor, que recebais favoravelmente o ministério de nossa servidão. E, já que vos dignastes lavar os pés de vossos discípulos, não desprezeis a obra de vossas mãos, que nos mandastes conservar, para que, assim como nós lavamos uns aos outros as imundícies exteriores, assim nos purifiqueis da mácula interior do pecado. Dignai-vos, Senhor, conceder-nos isto, vós que sendo Deus, viveis e reinais pelos séculos dos séculos. R. Amém.


Os doze homens devem agora ser reconduzidos aos seus lugares.


OFERTÓRIO

(Sl 117,16,17)

DEXTERA Domini fecit Virtutem, dextera Domini extaltavit me: non moriar, sed vivam, et narrabo opera Domini.


A DESTRA do Senhor mostra o seu poder; a destra do Senhor me exalta; não hei de morrer, mas viverei e contarei as obras do Senhor.


SECRETA

IPSE tibi, quaesumus, Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus, sacrificum nostrum reddat acceptum, qui discipulis suis in sui commemorationem hoc fieri hodierna traditione monstravit, Jesus Christus Filius tuus Dominus noster qui tecum vivit et regnat in unitate Spiritus Sancti, Deus.


SENHOR santo, Pai onipotente, Deus eterno, nós Vos suplicamos que Jesus Cristo, vosso Filho, Nosso Senhor, Vos torne agradável o nosso sacrifício, Ele que o instituiu no dia de hoje e ensinou a seus discípulos o fizessem em sua memória, e sendo Deus, convosco vive e reina.


Prefácio da Santa Cruz.

Communicántes, Hanc Igitur, e Qui Prídie são próprios para este dia.


COMUNHÃO

(Jo 13,12,13,15)

DOMINUS Iesus, postquam cenavit cum discípulis suis, lavit pedes eorum, et ait illis: Scitis quid fécerim vobis ego Dominus, et Magister? Exeplum dedi vobis, ut et vos ita faciatis.


O SENHOR Jesus, depois de cear com os seus discípulos, lavou-lhes os pés e disse-lhes: Compreendeis o que vos fiz, sendo eu vosso Senhor e Mestre? Dei-vos o exemplo para que também façais o mesmo.


Ao Agnus Dei se responde três vezes miserere nobis. Omite-se o ósculo da paz e se omite a oração Domine Iesu Christe, qui dixisti.


Uma vez terminada a comunhão, o cibório é deixado sobre o corporal. O sacerdote procede ordinariamente à purificação. Uma vez terminado, o sacerdote continua como de costume, exceto que quando vai ao centro do altar genuflete, e quando e quando volta-se para o povo, toma o cuidado de não dar as costas ao Santíssimo Sacramento.


PÓSCOMUNHÃO

REFECTI vitalibus alimentis quaesumus, Domine Deus noster: ut, quod tempore nostrae mortalitatis exesquimur, immortalitatis tuae munere consequamur. Per Dominum nostrum Jesum Christum, qui tecum vivit et regnat in unitate Spiritus Sancti, Deus, per omnia saecula saeculorum.


Saciados com este Alimento da vida, nós Vos suplicamos, Senhor, nosso Deus, que pelo Dom de vossa imortalidade alcancemos o que celebramos agora durante nossa vida mortal. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo, Deus, por todos os séculos dos séculos.


No lugar do Ite misa est, se diz Benedicamus Domino. Diz-se a oração Placeat tibi. Omite-se a bênção final e o último Evangelho. Nas Missas Rezadas [entenda-se privada] se termina como de costume. Dita a oração Placeat tibi, o sacerdote e os ministros deixam os manípulos e o celebrante toma a capa pluvial para o traslado do Santíssimo.


SOLENE TRASLADAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Revestidos, sobem ao altar e coloca incenso em dois turíbulos, e com um incensa como de costume. Durante a procissão se canta o hino Pange Lingua até o Tantum ergo. Quando o Santíssimo for colocado no sacrário, volta a colocar incenso e incensa durante o canto do Tantum Ergo.


Pange Lingua

1. Pange, lingua, gloriosi

Córporis mystérium

Sanguinísque pretiósi,

Quem in mundi prétium

Fructus ventris generósi

Rex effúdit géntium.


1. Canta, ó língua, este Mistério

Deste Corpo glorioso

Fruto do ventre sagrado

E do sangue precioso

Que verteu o Rei das gentes

Para a redenção do mundo.


2. Nobis datus, nobis natus

Ex intácta Vírgine,

Et in mundo conversátus,

Sparso verbi sémine,

Sui moras incolátus

Miro clausit órdine.


2. Dado a nós, por nós nascido,

De uma Virgem imaculada,

Por entre os homens viveu.

E espalhada a sã doutrina

Quis de modo surpreendente

Seu ministério encerrar.


3. In supremæ nocte coenæ

Recumbens cum frátribus,

Observata lege plene

Cibis in legálibus,

Cibum turbæ duodenæ

Se dat súis mánibus.


3. Na noite da última ceia

Com seus irmãos pôs-se à mesa

E observada plenamente

A lei suprema da Páscoa

Com as suas próprias mãos

Dá-se aos doze em alimento.


4. Verbum caro, panem verum

Verbo carnem éfficit,

Fitque Sanguis Christi merum,

Et, si sensus déficit,

Ad firmandum cor sincerum

Sola fides súfficit.


4. O Verbo Encarnado muda

Com sua palavra, em Carne

O nosso pão verdadeiro,

E o vinho em Sangue do Cristo.

Se o sentido o não alcança

A fé viva o peito anima.


5. Tantum ergo Sacraméntum,

Venerémur cérnui:

Et antíquum documentum

Novo cedat rítui;

Præstet fides suppleméntum

Sénsuum deféctui.


5. Este grande Sacramento

Humildemente adoremos

Da antiga lei as figuras

Cedam ao novo Mistério.

À fraqueza dos sentidos

Sirva a fé de suplemento.


6. Genitori Genitóque,

Laus et iubilátio;

Salus, honor, virtus quoque,

Sit et benedíctio;

Procedénti ab utróque

Compar sit laudátio. Amen.


6. Ao Pai, ao Filho igualmente

Louvores mil tributemos.

Seus altos dons inefáveis

Por justo tributo honremos:

Ao que de ambos procede

Os mesmos louvores demos. Amém.


Adoram o Santíssimo Sacramento por um espaço de tempo em silêncio. Depois de se retirarem, após a genuflexão, para a sacristia, onde deixam os ornamentos brancos, e o celebrante e diáconos tomam a estola roxa para o despojamento dos altares.


DESPOJAMENTO DOS ALTARES

No altar-mor e com a devida reverência, em pé, começa o desnudamento dos altares. O celebrante com uma voz clara diz a antífona:


Salmo 21


Antífona (Sl 21,19)

DIVISÉRUNT sibi vestiménta mea: et super vestem meam misérunt sortem.


DIVIDIRAM entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sorte.


E acrescenta o primeiro verso do salmo 21:

DEUS, Deus meus, réspice in me: quare me dereliquísti? *

MEU Deus, meu Deus, por que me bandonastes?


E prosseguem os demais clérigos. O celebrante com os ministros ou ajudantes desnudam os altares da Igreja. Terminado isto, voltam ao altar e repitem a Ant. Divisérunt e regressam à sacristia.


Longe a salúte mea verba delictórum meórum.

E permaneceis longe de minhas súplicas e de meus gemidos?


Deus meus, clamábo per diem, et non exáudies: * et nocte, et non ad insipiéntiam mihi.

Meu Deus, clamo de dia e não me respondeis; imploro de noite e não me atendeis.


Tu autem in sancto hábitas, * laus Israël.

Entretanto, vós habitais em vosso santuário, vós que sois a glória de Israel.


In te speravérunt patres nostri: * speravérunt, et liberásti eos.

Nossos pais puseram sua confiança em vós, esperaram em vós e os livrastes.


Ad te clamavérunt, et salvi facti sunt: * in te speravérunt, et non sunt confúsi.

A vós clamaram e foram salvos; confiaram em vós e não foram confundidos.


Ego autem sum vermis, et non homo: * oppróbrium hóminum, et abiéctio plebis.

Eu, porém, sou um verme, não sou homem, o opróbrio de todos e a abjeção da plebe.


Omnes vidéntes me, derisérunt me: * locúti sunt lábiis, et movérunt caput.

Todos os que me vêem zombam de mim; dizem, meneando a cabeça:


Sperávit in Dómino, erípiat eum: * salvum fáciat eum, quóniam vult eum.

“Esperou no Senhor, pois que ele o livre, que o salve, se o ama”.*


Quóniam tu es, qui extraxísti me de ventre: * spes mea ab ubéribus matris meæ. In te proiéctus sum ex útero:

Sim, fostes vós que me tirastes das entranhas de minha mãe e, seguro, me fizestes repousar em seu seio.


De ventre matris meæ Deus meus es tu, * ne discésseris a me:

Eu vos fui entregue desde o meu nascer, desde o ventre de minha mãe vós sois o meu Deus.


Quóniam tribulátio próxima est: * quóniam non est qui ádiuvet.

Não fiqueis longe de mim, pois estou atribulado; vinde para perto de mim, porque não há quem me ajude.


Circumdedérunt me vítuli multi: * tauri pingues obsedérunt me.

Cercam-me touros numerosos, rodeiam-me touros de Basã;


Aperuérunt super me os suum, * sicut leo rápiens et rúgiens.

contra mim eles abrem suas fauces, como o leão que ruge e arrebata.


Sicut aqua effúsus sum: * et dispérsa sunt ómnia ossa mea.

Derramo-me como água, todos os meus ossos se desconjuntam;


Factum est cor meum tamquam cera liquéscens * in médio ventris mei.

meu coração tornou-se como cera e derrete-se nas minhas entranhas.


Aruit tamquam testa virtus mea, et lingua mea adhæsit fáucibus meis: * et in púlverem mortis deduxísti me.

Minha garganta está seca qual barro cozido, pega-se no paladar a minha língua: vós me reduzistes ao pó da morte.


Quóniam circumdedérunt me canes multi: * concílium malignántium obsédit me.

Sim, rodeia-me uma malta de cães, cerca-me um bando de malfeitores.


Fodérunt manus meas et pedes meos: * dinumeravérunt ómnia ossa mea.

Traspassaram minhas mãos e meus pés: poderia contar todos os meus ossos.


Ipsi vero consideravérunt et inspexérunt me: * divisérunt sibi vestiménta mea, et super vestem meam misérunt sortem.

Eles me olham e me observam com alegria, repartem entre si as minhas vestes, e lançam sorte sobre a minha túnica.*


Tu autem, Dómine, ne elongáveris auxílium tuum a me: * ad defensiónem meam cónspice.

Porém, vós, Senhor, não vos afasteis de mim; ó meu auxílio, bem depressa me ajudai.


Erue a frámea, Deus, ánimam meam: * et de manu canis únicam meam:

Livrai da espada a minha alma, e das garras dos cães a minha vida.


Salva me ex ore leónis: * et a córnibus unicórnium humilitátem meam.

Salvai-me a mim, mísero, das fauces do leão e dos chifres dos búfalos.


Narrábo nomen tuum frátribus meis: * in médio ecclésiæ laudábo te.

Então, anunciarei vosso nome a meus irmãos, e vos louvarei no meio da assembleia.*


Qui timétis Dóminum, laudáte eum: * univérsum semen Iacob, glorificáte eum.

“Vós que temeis o Senhor, louvai-o; vós todos, descendentes de Jacó, aclamai-o;


Tímeat eum omne semen Israël: * quóniam non sprevit, neque despéxit deprecatiónem páuperis:

temei-o, todos vós, estirpe de Israel, porque ele não rejeitou nem desprezou a miséria do infeliz,


Nec avértit fáciem suam a me: * et cum clamárem ad eum, exaudívit me.

nem dele desviou a sua face, mas o ouviu, quando lhe suplicava.”


Apud te laus mea in ecclésia magna: * vota mea reddam in conspéctu timéntium eum.

De vós procede o meu louvor na grande assembleia, cumprirei meus votos na presença dos que vos temem.


Edent páuperes, et saturabúntur: et laudábunt Dóminum qui requírunt eum: * vivent corda eórum in sǽculum sǽculi.

Os pobres comerão e serão saciados; louvarão o Senhor aqueles que o procuram: “Vivam para sempre os nossos corações”.


Reminiscéntur et converténtur ad Dóminum * univérsi fines terræ:

Hão de se lembrar do Senhor e a ele se converter todos os povos da terra;


Et adorábunt in conspéctu eius * univérsæ famíliæ géntium.

e diante dele se prostrarão todas as famílias das nações,


Quóniam Dómini est regnum: * et ipse dominábitur géntium.

Porque a realeza pertence ao Senhor e ele impera sobre as nações.


Manducavérunt et adoravérunt omnes pingues terræ: * in conspéctu eius cadent omnes qui descéndunt in terram.

Todos os que dormem no seio da terra o adorarão; diante dele se prostrarão os que retornam ao pó.


Et ánima mea illi vivet: * et semen meum sérviet ipsi.

Para ele viverá a minha alma, há de servi-lo minha descendência.


Annuntiábitur Dómino generátio ventúra: * et annuntiábunt cœli iustítiam eius pópulo qui nascétur, quem fecit Dóminus.

Ela falará do Senhor às gerações futuras e proclamará sua justiça ao povo que vai nascer: “Eis o que fez o Senhor”.


Ant. Divisérunt sibi vestiménta mea: et super vestem meam misérunt sortem.

Ant. Dividiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sorte.


RECURSOS:

COMENTÁRIOS LITÚRGICOS: Dom Gueranger

Partes próprias da Missa: partituras

Intróito: áudio

Coleta em tom solene: partitura

Epístola: partitura / áudio

Gradual: áudio

Antífona Mandatum novum: áudio

Antífona Postquam surrexit: áudio

Antífona Domine: áudio

Antífona In hoc cognoscent: áudio

Antífona Maneant: áudio

Antífona Ubi caritas: áudio

Evangelho: partitura-antiquior / áudio

Oração para o Lava-pés: partitura

Ofertório: áudio

Comunhão: áudio

Póscomunhão em tom solene: partitura

Sermão: 1 - Explicação do Evangelho

2 - In Cena Domini

Meditação: 1 - O dia do Amor

2 - Quinta Dor de Maria Santíssima – Morte de Jesus






#quintafeirasanta #denudaçaodosaltares #transladaçãodosantissimo #missatridentina #propriodamissa

SIGA-NOS:

  • YouTube
  • Twitter ícone social
  • Pinterest
  • Facebook ícone social

© 2019 Apostolado FERR - Forma Extraordinária do Rito Romano