• Apostolado FERR

Missa da Terça-feira da semana da Paixão




TERÇA-FEIRA DA I SEMANA DA PAIXÃO

III classe, paramentos roxos

Estação em São Ciríaco

Daniel na cova dos leões (Leitura) é uma figura do Cristo (Evangelho) e de todos os que sofrem por Deus. O Deus de Israel nos salvará de todas as angústias (Communio).

INTRÓITO

(Sl 26,14,1)

EXSPECTA Dominum, viriliter age, et confortetur cor tuum, et sustine Dominum. PS. Dominus illuminatio mea et salus mea; quem timebo? Dominus protector vitæ meæ; a quo trepidabo? – Exspecta.


ESPERA no Senhor, e age virilmente; conforte-se o teu coração; espera no Senhor. SL. O Senhor é minha Luz e minha Salvação: a quem temerei? – Espera no Senhor.

COLETA

NOSTRA tibi, Domine, quaesumus, sint accepta jejunia: quae nos et explando gratia tua dignos efficient: et ad remedia perducant aeterna. Per Dominum nostrum.


NÓS Vos suplicamos, Senhor, fazei com que, em expiação de nossos pecados, Vos sejam agradáveis os nossos jejuns, e fazendo-nos dignos de vossa graça nos conduzam às fontes da salvação eterna. Por Nosso Senhor.

EPÍSTOLA

(Dn 14,27.28-42)

Léctio Danielis Prophetae

QUOD cum audissent Babylonii, indignati sunt vehementer: et congregati adversum regem, dixerunt: Judæus factus est rex: Bel destruxit, draconem interfecit, et sacerdotes occidit. Et dixerunt cum venissent ad regem: Trade nobis Danielem, alioquin interficiemus te, et domum tuam. Qui miserunt eum in lacum leonum, et erat ibi diebus sex. Porro in lacu erant leones septem, et dabantur eis duo corpora quotidie, et duæ oves: et tunc non data sunt eis, ut devorarent Danielem. Erat autem Habacuc propheta in Judæa, et ipse coxerat pulmentum, et intriverat panes in alveolo: et ibat in campum ut ferret messoribus. Dixitque Angelus Domini ad Habacuc: Fer prandium, quod habes, in Babylonem Danieli, qui est in lacu leonum. Et dixit Habacuc: Domine, Babylonem non vidi, et lacum nescio. Et apprehendit eum Angelus Domini in vertice ejus, et portavit eum capillo capitis sui, posuitque eum in Babylone supra lacum in impetu spiritus sui. Et clamavit Habacuc, dicens: Daniel serve Dei, tolle prandium, quod misit tibi Deus. Et ait Daniel: Recordatus es mei Deus, et non dereliquisti diligentes te. Surgensque Daniel comedit. Porro Angelus Domini restituit Habacuc confestim in loco suo. Venit ergo rex die septimo ut lugeret Danielem: et venit ad lacum, et introspexit, et ecce Daniel sedens in medio leonum. Et exclamavit voce magna rex, dicens: Magnus es Domine Deus Danielis. Et extraxit eum de lacu leonum. Porro illos, qui perditionis ejus causa fuerant, intromisit in lacum, et devorati sunt in momento coram eo. Tunc rex ait: Paveant omnes habitantes in universa terra Deum Danielis: quia ipse est Salvator, faciens signa, et mirabilia in terra: qui liberavit Danielem de lacu leonum.


Leitura do livro do profeta Daniel.

NAQUELES dias, os habitantes da Babilônia foram à presença do rei, e lhe disseram: “Entrega-nos Daniel, que destruiu Bel e matou o dragão; do contrário te mataremos, junto com tua família.” Diante de seus violentos ataques, o rei se viu obrigado a entregar Daniel. Eles o lançaram na cova dos leões, aos quais davam-se cada dia dois cadáveres humanos e duas ovelhas; mas naquele dia nada lhes deram, para que devorassem Daniel. Ora, o profeta Habacuc estava na Judéia. Havia preparado um prato, a posto pedaços de pão num cesto, e ia ao campo levar comida aos ceifadores. O anjo do Senhor disse a Habacuc: “Leva esta comida à Babilônia, para Daniel, que está na cova dos leões.” Habacuc respondeu: “Senhor, nunca vi Babilônia, e não conheço essa cova!” Então o anjo do Senhor tomou-o pela cabeça, transportou-o pelos cabelos, e o colocou em Babilônia, à beira da cova, com a agilidade de um espírito. Habacuc gritou: “Daniel, Daniel, toma a refeição que Deus te envia.” Daniel disse: “Tu te lembraste de mim, ó meu Deus, e não abandonas aqueles que te amam!” Daniel levantou-se e comeu, e logo o anjo do Senhor reconduziu Habacuc para casa. Chegou o rei, no sétimo dia, para chorar Daniel. Aproximou-se da cova e olhou: Daniel estava sentado entre os leões. O rei deu um grito e disse: “Tu és grande, ó Senhor, Deus de Daniel, e não há outro Deus, senão tu.” Ele fez com que tirassem Daniel. Quanto àqueles que queriam a sua perda, fez lançá-los na cova, e foram logo devorados a seus olhos. Então o rei disse: “Que os habitantes da terra inteira temam o Deus de Daniel! É ele o salvador, que faz sinais e prodígios sobre a terra, e livrou Daniel da cova dos leões.”

GRADUAL

(Sl 42,1.3)

DISCERNE causam meam de gente non sancta, ab homine iniquo et doloso erue me. V. Emitte lucem tuam et veritatem tuam; ipsa me deduxerunt, et adduxerunt in montem sanctum tuum, et in tabernacula tua.


SEPARAI a minha causa da causa dos ímpios, livrai-me do perverso e mentiroso! V. Envia, vossa luz, vossa verdade; sejam elas o guia que me leve ao vosso monte santo e à vossa casa!

EVANGELHO

(Jo 7,1-13)

Sequentia sancti Evangelii secundum Joannem.

IN illo tempore: Ambulabat Jesus in Galilæam, non enim volebat in Judæam ambulare: quia quærebant eum Judæi interficere. Erat autem in proximo dies festus Judæorum, Scenopegia. Dixerunt autem ad eum fratres ejus: Transi hinc, et vade in Judæam, ut et discipuli tui videant opera tua, quæ facis. Nemo quippe in occulto quid facit, et quærit ipse in palam esse: si hæc facis, manifesta teipsum mundo. Neque enim fratres ejus credebant in eum. Dicit ergo eis Jesus: "Tempus Meum nondum advenit: tempus autem vestrum semper est paratum. Non potest mundus odisse vos: me autem odit: quia ego testimonium perhibeo de illo quod opera ejus mala sunt. Vos ascendite ad diem festum hunc, ego autem non ascendo ad diem festum istum: quia meum tempus nondum impletum est." Hæc cum dixisset, ipse mansit in Galilæa. Ut autem ascenderunt fratres ejus, tunc et ipse ascendit ad diem festum non manifeste, sed quasi in occulto. Judæi ergo quærebant eum in die festo, et dicebant: Ubi est ille? Et murmur multum erat in turba de eo. Quidam enim dicebant: Quia bonus est. Alii autem dicebant: Non, sed seducit turbas. Nemo tamen palam loquebatur de illo propter metum Judæorum.


Continuação do santo Evangelho segundo São João.

NAQUELE tempo, Jesus percorria a Galiléia; não queria circular pela Judéia porque os judeus buscavam matá-lo. No entanto, a festa judaica dos Tabernáculos se aproximava. Seus irmãos disseram-lhe então: “Parte daqui e vai para a Judéia, a fim de que os teus discípulos vejam também as obras que fazes: ninguém age em segredo, se quer ser conhecido! Uma vez que fazes tais obras, manifesta-te ao mundo.” Pois eis que até seus irmãos não acreditavam nele. Jesus lhes disse então: “Meu tempo não chegou ainda, enquanto para vós o tempo é sempre bom. O mundo não pode odiar-vos; a mim, ele odeia, porque eu dou testemunho de que suas obras são más. Vós, subi para a festa; eu, porém, não subo para esta festa, porque o meu tempo não se cumpriu ainda”. Dito isto, ficou na Galiléia. Todavia, quando seus irmãos tinham subido para a festa, ele subiu também; mas, como em segredo, sem se fazer notar. Os judeus procuravam-no pois, durante a festa, e diziam: “Onde está ele?” A multidão, às escondidas, falava muito a seu respeito. Uns diziam: “É um homem de bem.” Outros diziam: “Não, ele ilude o povo.” Todavia, ninguém se manifestava abertamente sobre ele, por causa do medo dos judeus.

OFERTÓRIO

(Sl 9,11-12,13)

ET SPERENT in te qui noverunt nomen tuum, quoniam non dereliquisti quærentes te, Domine. Psallite Domino qui habitat in Sion; annuntiate inter gentes studia ejus, quoniam requirens sanguinem eorum recordatus est; non est oblitus clamorem pauperum.


ESPEREM em Vós, Senhor, todos os que conhecem o vosso Nome, porque nunca desamparais os que recorrem a Vós, Cantai ao Senhor, que habita em Sião; porque não se esquece da oração dos pobres.

SECRETA

HOSTIAS tibi, Domine, deferimus immolandas: quae temporalem consolationem significant; ut promissa non desperemus aeterna. Per Dominum nostrum.


SENHOR, nós Vos oferecemos em sacrifício estas hóstias, esperando que neste tempo nos façam sentir consolação, para que não desesperemos de alcançar as promessas eternas. Por Nosso Senhor.

Prefácio da Santa Cruz.

COMUNHÃO

(Sl 24,22)

REDIME me, Deus Israel, ex omnibus angustiis meis.


LIVRAI-ME, ó Deus de Israel, de todas as minhas tribulações.

PÓSCOMUNHÃO

DA, QUAESUMUS, omnipotens Deus: ut quae divina sunt, jugiter exsequentes, domnis mereamur caelestibus propinquare. Per Dominum nostrum.


CONCEDEI, ó Deus onipotente, que cumprindo sempre o serviço divino, sejamos dignos de aproximar-nos dos Dons celestes. Por Nosso Senhor.

ORAÇÃO SOBRE O POVO

Oremus.

Humiliáte cápita vestra Deo.

DA NOBIS, quaesumus, Domine: perseverantem in tua voluntate famulatum; ut in diebus nostris, et merito et numero, populus tibi serviens augeatur. Per Dominum nostrum.


Oremos.

Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

NÓS Vos rogamos, ó Senhor, dai-nos perseverança para cumprir a vossa vontade a fim de que em nossos dias, o povo que Vos serve cresça em merecimentos e em número. Por Nosso Senhor.

Pode-se dizer:

V. Benedicámus Dómino.

R. Deo Grátias.


RECURSOS:

COMENTÁRIOS LITÚRGICOS: Dom Gueranger

Partes próprias da Missa: partituras

Sermão:

Meditação: Última ceia de Jesus Cristo com os seus discípulos




#propriodamissa #missatridentina #tempodapaixao #anoliturgico

SIGA-NOS:

  • YouTube
  • Twitter ícone social
  • Pinterest
  • Facebook ícone social

© 2019 Apostolado FERR - Forma Extraordinária do Rito Romano