• Apostolado FERR

Normas sobre o Tríduo Sacro na Administração Apostólica





SOBRE A SEMANA SANTA 2020


COMUNICADO AOS SACERDOTES E AO POVO DE DEUS


O DECRETO DA CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS, de 19 de março de 2020, - “EM TEMPO DE COVID-19” – assim começa: “No tempo difícil que estamos vivendo, devido à pandemia de Covid-19, considerando o caso de impedimento para celebrar a liturgia comunitariamente na igreja, tal como os bispos o têm indicado para os territórios de sua competência, chegaram a esta Congregação consultas relativas às próximas festividades pascais”. E dá as indicações, baseado nas quais, dou as seguintes normas:


1 – Continuam as normas quanto à Missa sem assistência do povo, transmitida pelas redes sociais. O mesmo se diga da Via Sacra, Adoração do SSmo. e a reza do Rosário de Nossa Senhora. Que os fiéis acompanhem pelas redes sociais e, individualmente ou em família, façam as suas orações, unindo-se às celebrações litúrgicas.


2 - Sobre a data da Páscoa. Coração do ano litúrgico, a Páscoa não é uma festa como as outras: celebrada no arco de três dias, o Tríduo Pascal, precedida pela Quaresma e coroada pelo Pentecostes, não pode ser transferida.


3 - Domingo de Ramos: Omitir só a procissão. O Bispo ou o Padre benze os ramos, entrega aos acólitos, lê o Evangelho, faz a oração final, troca os paramentos e começa a Santa Missa.


4 – A Missa crismal. A nossa Missa Crismal será na Quinta-Feira Santa às 9h da manhã, na Igreja Principal, sem a presença do clero, solicitando que acompanhem pelos meios de comunicação. Pedimos aos padres que se unam espiritualmente, em comunhão, e façam particularmente, em união com o Bispo, a fórmula da renovação dos compromissos sacerdotais.


5 – Indicações para o Tríduo Pascal

Onde a autoridade civil e eclesial impôs restrições, como é o nosso caso, na Igreja Principal e nas Igrejas paroquiais, mesmo sem a participação dos fiéis, o bispo e os párocos celebrem os mistérios litúrgicos do Tríduo Pascal, avisando os fiéis da hora de início de modo a que se possam unir em oração nas respectivas moradias. Neste caso são uma ajuda os meios de comunicação por telas ao vivo, não gravada.


Na Quinta-Feira Santa, nas Igrejas Principal e Paroquiais, os sacerdotes celebrarão a Missa In Coena Domini (na Ceia do Senhor); concede-se a título excepcional a todos os sacerdotes a faculdade de celebrar neste dia, em lugar adequado, a Missa sem o povo. O lava-pés, já facultativo, omite-se. No término da Missa na Ceia do Senhor omite-se a procissão e o Santíssimo Sacramento seja conservado no Sacrário. Os sacerdotes que não tenham a possibilidade de celebrar a Missa, em vez dela rezarão as Vésperas.


Na Sexta-Feira Santa, nas Igrejas Principal e Paroquiais, o Bispo / o pároco celebra a Paixão do Senhor. Na oração universal, façam uma intenção especial, avisando o povo, pelos doentes, falecidos e suas famílias, como segue abaixo:


Após a Oração Pro conversione infidelium, acrescentam-se as seguintes orações:

Pro Infirmis

Orémus et pro infírmis, in hoc pestiléntiae témpore patientibus.


Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Omnípotens sempitérne Deus, salus aeterna credéntium: exáudi nos pro fámulis tuis infírmis, pro quibus misericórdiae tuae implorámus auxílium; ut, réddita sibi sanitáte, gratiárum tibi in Ecclésia tua réferant actiónes. Per Dominum.

R. Ámen.


Pro defunctis in hoc pestilentiae tempore

Orémus et pro defúnctis, in hoc pestiléntiae témpore decedentibus.


Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Deus, cui próprium est miseréri semper et párcere: propitiáre animábus famulórum famularúmque tuárum, et ómnia eórum peccáta dimítte; ut mortalitátis vínculis abusolútae, transíre mereántur ad vitam. Per Dominum.

R. Ámen.


Pro solacio familiarum

Orémus et pro solácio familiárum, in hoc témpore sufferentibus.


Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Ne despícias, omnípotens Deus, pópulum tuum in afflictióne clamántem: sed propter glóriam nóminis tui, tribulátis succúrre placátus. Per Dóminum.

R. Ámen.


Páscoa. A Vigília Pascal celebra-se apenas na Igreja Principal e Paroquiais. Para o “Início da vigília ou Lucernário”, omite-se o acender do fogo, acende-se o Círio e, omitindo a procissão, segue-se o Precônio Pascal (Exsultet). Seguem-se as Leituras. Sem cantar as ladainhas, passa-se para a “Liturgia Batismal”, e, após a bênção da água, renovam-se as promessas do Batismo. Segue-se a Santa Missa da Vigília Pascal.

Aqueles que não podem de modo nenhum unir-se à Vigília Pascal celebrada na igreja, rezam o Ofício de Leituras (Matinas) e Laudes, indicadas para o Domingo de Páscoa.

As expressões de piedade popular e as procissões, que enriquecem os dias da Semana Santa e do Tríduo Pascal, poderão ser transferidas para outros dias convenientes, por ex., 14 e 15 de setembro.

Campos dos Goytacazes, 22 de março de 2020


+ Dom Fernando Arêas Rifan

Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney






SIGA-NOS:

  • YouTube
  • Twitter ícone social
  • Pinterest
  • Facebook ícone social

© 2020 Apostolado FERR - Forma Extraordinária do Rito Romano